• Home
  • /
  • Integração
  • /
  • Por que o Palmeiras deveria usar a base no Campeonato Paulista?
Por que o Palmeiras deveria usar a base no Campeonato Paulista

Por que o Palmeiras deveria usar a base no Campeonato Paulista?

Independente de qualquer polêmica com a Federação Paulista de Futebol, o Palmeiras deveria usar a base no Campeonato Paulista de 2019. Contratos televisivos e comerciais, além do próprio grau de dificuldade do torneio, impedem que sejam escalados apenas as Crias da Academia, mas o regulamento possibilita que mais jovens sejam testados do que o clube tem feito nos últimos anos.

O Campeonato Paulista permite a inscrição de apenas 26 atletas, sendo três deles goleiros. No entanto, desde 2018, os clubes podem inscrever uma lista “extra” com jogadores formados nas categorias do clube que sigam algumas requisitos, como ter contrato há mais de um ano, ser nascido a partir de 1998 (no caso do regulamento de 2019) e já ter disputado algum torneio oficial de base. Só é permitido utilizar 5 atletas dessa lista simultaneamente nos jogos.

Leia também: Entenda como funciona a lista da base no Paulista

 

Mas por que o Palmeiras deveria usar a base no Paulista?

 

1. Base valorizada com títulos e convocações

O Palmeiras reestruturou suas categorias juniores nos últimos anos e está começando a colher frutos. Ao longo de 2018, 23 títulos já foram conquistados pela base do clube. No Sub-20, categoria mais próxima ao profissional, o Verdão teve uma temporada excelente. A equipe conquistou o Brasileiro, a Copa Ipiranga (RS) e o Paulista da categoria, chegou a semifinal da Copa do Brasil e foi derrotada nos pênaltis na Super Copa (confronto entre vencedor da Copa do Brasil e do Brasileiro).

Além disso, 30 atletas já foram convocados para as categorias de base, 7 estão convocados para disputar o Sul-Americano Sub-20: Vitão, Luan Cândido, Gabriel Furtado, Gabriel Menino, Alan e Papagaio, pelo Brasil, e Aníbal, pelo Paraguai.

O torneio será realizado entre janeiro e fevereiro, no Chile. Os atletas serão desfalque para o Palmeiras na Copa São Paulo Jr, mas voltam mais experientes e valorizados a tempo de ser testados no Campeonato Paulista.

Alguns nomes já despertam interesse do mercado nacional e internacional. Papagaio, por exemplo, já teve o nome especulado em equipes da Europa e no Atlético Mineiro. Fernando foi negociado no meio de 2018, e apesar da venda prematura e da possibilidade de seu “passe” valer ainda mais caso permanecesse por mais um tempo no clube, rendeu a 3ª maior negociação da base do Palmeiras na história.  Os 5,5 milhões de euros recebidos o colocam apenas atrás de Gabriel Jesus e Vagner Love, mesmo tendo disputado cerca de 60 minutos como profissional.

 

2. Palmeiras é o clube que menos usou atletas no Brasileiro de 2018 (O 2º que menos usou a base)

O Palmeiras utilizou apenas 29 atletas ao longo das 36 rodadas do Campeonato Brasileiro de 2018, a média dos demais times chegou a 36 jogadores. Dudu e Willian disputaram, respectivamente, 64 e 65 partidas das 74 disputadas pelo clube em toda temporada. Os dois foram poupados em apenas 1 das 18 do Campeonato Paulista.

Para efeito de comparação, os dois atletas atuaram mais que São Paulo (64) e  Internacional (57). [Fonte: ogol.com.br]. Willian, Moises, Marcos Rocha e Bruno Henrique foram alguns dos atletas que sentiram no fim da temporada o desgaste da quantidade de jogos, alguns chegando a ter lesões musculares, mesmo com toda infraestrutura de prevenção do clube.

Há, portanto, margem para rodar ainda mais o elenco do que foi feito por Luis Felipe Scolari no 2º semestre de 2018. O Campeonato Paulista pode e deve funcionar como um laboratório para testar atletas, familiarizar os jovens com o estilo de jogo e a pressão do profissional, criando reforços caseiros mais prontos para serem usados ao longo da temporada. O mesmo vale para jogadores recém contratados, como seria o atual caso de Arthur Cabral, Matheus Fernandes e Zé Rafael.

O Palmeiras foi o segundo clube que menos utilizou a base no Brasileiro de 2018, mesmo com números inflacionados pelo uso de Victor Luis e Thiago Martins. Se considerarmos apenas atletas em estágio de transição, até 21 anos, apenas Papagaio e Artur ganharam poucos minutos, 31 e 118, respectivamente.

Luan Cândido, Gabriel Furtado, Yan e Pedrão chegaram a frequentar o banco de reservas, mas não entraram em campo durante a competição. Tanto no Brasileiro, quanto no Paulista, é permitido levar até 10 suplentes de linha para as partidas. Dessa forma, há espaço para ter sempre uma variação de meninos que possam, ao menos, entrar no decorrer dos jogos.

Minutos da base no Brasileiro 2018

 

No Campeonato Paulista de 2018, apenas dois atletas neste período de integração atuaram pela equipe principal do Palmeiras. Papagaio atuou por 114 minutos e Fernando por apenas 13, ambos marcaram um gol na competição.

Com o time disputando títulos, que é o que se espera para 2019, é realmente complicado exigir que se façam estreias de jovens em jogos de grande pressão do Brasileiro e demais torneios. Por isso, o Campeonato Paulista pode ser uma oportunidade fundamental para dar a “cancha” necessária para o restante da temporada.

Minutagem da base do Palmeiras no time principal em 2018

Além de Papagaio e Fernando, Vitão, Alan e Luan Cândido chegaram a frequentar o banco de reservas no Paulista de 2018

 

Analisando os outros 4 times do G5 do Campeonato Brasileiro de 2018, raros foram os casos dos atletas que estrearam como profissionais ao longo da competição.

Flamengo:

  • Paquetá  – 2.707 min (32J)
  • Vinicius Jr –  974 min (12J)
  • Jean Lucas – 371 min (14J)
  • Lincoln –  246 min (8J)
  • Thuler – 499 min (7J)
  • Vizeu – 157 min (5J)
  • Matheus Sávio – 186 min (5J)

Apenas Thuler e Jean Lucas não tinham jogado o Campeonato Brasileiro de 2017. Os dois, no entanto, foram utilizados por 5 partidas no Campeonato Carioca, 450 minutos em campo para o zagueiro e 329 minutos para o volante.

Paquetá e Vinicius Jr foram peças fundamentais para a campanha da equipe carioca, que liderou o campeonato em parte do 1º turno e terminou na 2ª colocação. Junto com eles, outro atleta revelado pelo clube foi titular absoluto, Leo Duarte. Com 22 anos, o jogador está integrado desde 2016 no elenco principal e sendo testado aos poucos nas temporadas anteriores.

 

Inter:

  • Iago – 3122min (35J)
  • Brenner – 106min (7J)
  • Sarrafiore – 6min (1J)

Os jogadores em integração do Inter foram menos decisivos que os do Flamengo, mas o lateral Iago foi uma das revelações do Brasileiro de 2018. O jogador foi titular em praticamente todos os jogos do clube, mesmo com a concorrência de Zeca e do experiente Uendel.

Sarrafiore entrou na última partida do ano e fez sua estreia na equipe principal. Iago e Brenner já haviam atuado no Gaúcho e nas primeiras fases da Copa do Brasil.

 

Grêmio:

Pepê – 802min – (20J)
Jean Pyerre – 626min (12J)
Matheus Henrique – 756min (12J)
Guilherme Guedes – 90min (1J)

Os jovens jogadores do Grêmio ajudaram na conquista de pontos importantes para a classificação no G4 da equipe gaúcha, principalmente nos momentos em que Renato Gaúcho poupou o time titular. Todos os jogadores já haviam ganhado oportunidades no estadual.

 

São Paulo:

Liziero – 1.516min (29J)
Shaylon – 386min (14J)
Éder Militão – 1.128min (13J)
Luan Santos – 416min (7J)
Lucas Fernandes – 269min (7J)
Brenner – 192min (6J)
Helinho – 362min (5J)
Antony – 43min (3J)
Paulinho Boia – 22min (2J)
Igor Gomes – 31min (2J)
Caique – 19min (1J)

 

Assim como os meninos do Flamengo, os jovens da base do São Paulo foram fundamentais para a campanha no Campeonato Brasileiro. Militão foi titular absoluto antes de ir para o Porto, Liziero era quase um 12º jogador e Luan assumiu a titularidade ao longo da competição.

Entre os jovens, apenas Luan Santos estreou na equipe profissional, sem ter minutos nem no Campeonato Paulista, quando a equipe tricolor ainda lutava pelo título. Helinho, Igor Gomes, Caique e Antony estrearam nas últimas rodadas também sem ter tido essa experiencia.

 

3. Base como fonte de ganho técnico e financeiro

O principal objetivo da base é trazer ganho técnico para a equipe principal. O Campeonato Estadual é uma oportunidade para tornar os jovens jogadores mais preparados para ajudar o elenco ao longo de toda a temporada. No entanto, também é importante ressaltar a capacidade de arredar recursos com a venda dos atletas e posteriormente pelo Mecanismo de Solidariedade da FIFA.

O Flamengo recebeu cerca de 90 milhões de euros com as recentes negociações de Vinicius Jr, Lucas Paquetá e Felipe Vizeu. O Grêmio cerca de 40 milhões de euros com as saídas de Arthur, Jailson e Pedro Rocha.  O São Paulo 37 milhões de euros com Militão, Luis Araujo, David Neres e Lyanco.

O atual campeão da Sul-Americana também é um case de sucesso de arrecadação com as categorias de base, principalmente devido ao uso integral de jovens jogadores no estadual. Em reportagem publicada no site Tetris, um levantamento apontou que o Athlético já faturou 130 milhões de reais com revelações do Campeonato Paranaense.

O Palmeiras arrecadou, desde 2016, 42,5 milhões de euros com a venda de 4 atletas da base: Gabriel Jesus (33 milhões de euros), João Pedro (3,5 milhões de euros), Daniel Fuzato (500 mil euros – liberação porque o atleta havia assinado pré contrato) e Fernando (5,5 milhões de euros).

receita palmeiras 2017

Divisão das receitas do Palmeiras em 2017

 

Curiosidades de uma possível lista da base do Palmeiras no Paulista 2019

Ainda não está definida a lista de atletas da base do Palmeiras que serão inscritos no Paulistão de 2019, mas algumas destacamos algumas situações:

  • O zagueiro Pedrão não pôde ser inscrito na lista da base de 2018 porque não tinha um ano completo no Palmeiras. Ele foi contratado no final de fevereiro de 2017. Em 2019, ele não terá mais idade para estar na lista, já que é nascido em 1997. Só pode ser inscrito entre os 26 do grupo principal.
  • Artur e Vitinho integraram o profissional em 2018 e podem estar nesta lista em 2019. Os dois são nascidos em 1998 e estão de acordo com os outros critérios definidos no regulamento.
  • Os principais jogadores do elenco sub-20 (base do time que disputa a final do Brasileiro da categoria), está apta para entrar na lista: Vitão, Esteves, Yan, Alan, Papagaio, Luan Cândido, Gabriel Menino, Matheus Neris, Gabriel Furtado, Matheus Rocha, Patricks de Paula e de Lucca, Airton, Wesley.
  • Matheus Rocha, Yan e Anderson não terão mais idade Sub-20 em 2019 e atuaram como profissionais na temporada. O goleiro deve ser emprestado ao Santa Cruz, mas tudo indica que o lateral direito e o meia-atacante integrem o elenco do Palmeiras na competição.
  • Jogadores contratados em 2018 não estarão disponíveis para esta lista “extra”, pois não cumprem o critério de estarem a mais de 1 ano registrados no Palmeiras, como é o caso de Daiju Sasaki e Cesinha.

 

Leita também: Conheça tudo sobre o elenco do Palmeiras Sub-20

 

 

 

Quer saber mais informações sobre Base do Palmeiras? Siga as nossas redes sociais:

Twitter: @BasePalmeiras

Instagram: @basedopalmeiras

Facebook: facebook.com/basepalmeiras/

Deixe uma resposta