• Home
  • /
  • Elenco
  • /
  • Patrick de Paula: Conheça o meio campista do Palmeiras
Patrick de Paula Palmeiras

Patrick de Paula: Conheça o meio campista do Palmeiras

A base do Palmeiras está cada vez melhor: títulos, convocações e visibilidade da torcida. A equipe sub-20, naturalmente, é uma das mais populares, com mais jogos transmitidos na televisão e conquistas em torneios nacionais de grande expressão.

Além dos badalados Alan, Vitão e Gabriel Veron, Patrick de Paula é um dos atletas que mais está chamando a atenção dos torcedores nesta temporada. Desconhecido de muitos até então, o jogador se tornou um dos protagonistas do Palmeiras no título da Copa do Brasil Sub-20.

O crescimento no desempenho do meio-campista não é de agora. Patrick assumiu a vaga de volante titular na Copa Ipiranga RS, em dezembro de 2018. Anteriormente, ele atuava mais a frente, sendo um reserva imediato de Alan Guimarães. Com Gabriel Furtado na zaga e Gabriel Menino de férias para se apresentar a Seleção, Patrick se firmou mais recuado e é peça fundamental na equipe até hoje.

Não à toa, o volante assinou a renovação de contrato com o Palmeiras nos últimos dias. Seu novo vínculo terá duração de 3 anos, tempo de sobra para seguir amadurecendo e começar a figurar como peça importante na equipe principal. Patrick é nascido em 1999 e está em seu último ano como sub-20.

 

Do futebol amador no Rio de Janeiro para a Academia de Futebol

Um dos motivos para Patrick de Paula não ser tão conhecido pela torcida, e até por outros profissionais do mercado de base, é porque o atleta chegou relativamente tarde ao Palmeiras. Até 2017, Patrick atuava pelo projeto Cara Virada, na região de Santa Margarida, zona oeste do Rio de Janeiro. Naquele ano, foi observado durante o Campeonato Carioca de Futebol Amador da Capital e levado para a equipe alviverde (já com idade sub-20).

Patrick de Paula já é motivo de orgulho na região de Santa Margarida, onde ainda é conhecido como Pelezinho. O apelido surgiu quando era ainda novo, mas já se destacava pela habilidade e tendência a chamar a responsabilidade dos jogos.

Patrick de Paula no AESC Mamaô, clube amador de Santa Margarida, Rio de Janeiro

 

Patrick de Paula Rio de Janeiro

Patrick de Paula com a camisa 5 e um amigo após título no futebol amador com o Cara Virada

 

Parceria com Deyverson

Caso seja promovido ao profissional, Patrick de Paula já terá um amigo dos tempos de Rio de Janeiro. O atacante Deyverson também é cria de Santa Margarida e deu seus primeiros passos no futebol na Associação Esportiva Social e Cultural Mamaô.

O pai de Deyverson, Carlos Roberto da Silva, é um dos fundadores da associação e foi membro da comissão técnica do Sub-15 da equipe quando Patrick de Paula ainda jogava pela associação como lateral esquerdo.

 

Caros Roberto, pai de Deyverson, na comissão técnica do Mamaô

 

Patrick de Paula, lateral no AESC Mamaô Sub-15

 

Deyverson no AESC Mamaô Sub-20

 

 

 

Especialidade nas faltas

Patrick de Paula é um volante chamado box-to-box: se movimenta o campo inteiro, é firme na marcação, mas também tem muita chegada no ataque para criar, infiltrar e finalizar. Até por isso, sua principal inspiração hoje no futebol é Bruno Henrique.

“Agora estou me inspirando no Bruno Henrique, porque ele é um jogador que chega muito bem na aérea e finaliza muito bem de fora da aérea”

Nas redes sociais, entretanto, alguns torcedores estão fazendo comparações com outro ex volante do Palmeiras. Para alguns, ele é o Marcos Assunção canhoto nas cobranças de falta. Brincadeiras à parte, a batida firme tem dado resultado e já ajudou na conquista de dois títulos, a Copa do Brasil Sub-20 e o Terborg Torneeo, na Holanda.

 

 

 

 

Entrevista com Patrick de Paula

 

Base Palmeiras: Você chegou ao Palmeiras ao ser descoberto em 2017 durante um torneio amador do Rio de Janeiro. Nunca chegou a fazer testes ou ser convidado a treinar em equipes cariocas?

Patrick de Paula: Já fiz teste em times do Rio, mas eu não passei em nenhum.

 

BP: Como foi saber que um grande clube estava interessado em te contratar profissionalmente? Sentiu muita dificuldade no começo com o ritmo de treinos, preparo físico, etc?

PP: Quando fiquei sabendo que o Palmeiras me convidou pra fazer um teste fiquei super feliz, né? No começo foi um pouco difícil, mas me adaptei rápido graças a Deus.

 

BP: Como é viver longe da família? Você já conseguiu trazer alguém para morar com você em São Paulo? 

PP: Viver longe da família é muito ruim, mas eu tento ficar o máximo tranquilo para não sair do foco. Eu pretendo trazer todos pra morar comigo.

 

BP: Você cresceu muito de desempenho e importância no elenco quando passou a jogar mais recuado, como volante. Como você enxerga seu crescimento nessa função mais recuada?

PP: Eu já joguei nessa posição algumas vezes, e graças a Deus estou podendo ajudar meus companheiros. Eu estou me sentindo muito bem nessa posição, podendo ajudar toda minha equipe.

 

BP: Com o contrato renovado, quais são seus próximos objetivos na carreira?

PP: Eu estou muito feliz com contrato renovado, agora eu vou trabalhar mais para chegar ao profissional.

 

 

 

 

Quer saber mais informações sobre Base do Palmeiras? Siga as nossas redes sociais:

Twitter: @BasePalmeiras

Instagram: @basedopalmeiras

Facebook: facebook.com/basepalmeiras/

 

 

Deixe uma resposta